jueves, 24 de febrero de 2011

O PARADIGMA COMO FORMADOR DE ARQUÉTIPOS


É necessário compreender bem este ponto para compreender, em seguida, as publicações seguintes. A definição em Wikipedia de paradigma é como se segue: (A palavra paradigma deriva da palavra grega παράδειγμα (paradigma) que por sua vez se dividide em dois vocábulos,"para" (juntos) e "déigma" (modelo); em geral, etimologicamente significa "modelo" ou "exemplo". Por sua vez, tem as mesmas raízes que "demostrar".
Provavelmente, o uso mais comúm para paradigma envolve o conceito de "cosmovisão." Por exemplo, na ciência social, o termo é usado para descrever o conjunto de experiências, crenças e valores que afetam a forma como um indivíduo percebe a realidade e como ele responde a essa percepção. Deve se tomar em conta que o mundo também é compreendido pelo paradigma, por isso é necessário que o significado de paradigma é a maneira pelo qual é entendido o mundo, o homem, e é claro, as realidades cercanas ao conhecimento.)

Imagine que o paradigma é o sistema operacional (Windows) socialmente estabelecido, que é carregado no nosso disco rígido (memória), pelo qual se executam todos os outros programas (arquétipos), se o nosso sistema operacional é o Windows 98, os programas estarão desenhados para operar sob esse sistema, ou seja que um pacote de programas do Office 97 (Word, Excel, PowerPoint) vão funcionar perfeitamente nele, enquanto outros do Office 2007 não servirão, pois eles não são projetados para essa versão do Windows. Com isto quero dizer que os arquétipos são formados com base no paradigma atual em vigor. Considere que o paradigma do século XIX (dezenove), não é o mesmo que o do século XXI (vinte e um), porque os paradigmas vão mudando conforme o tempo passa, e, portanto, também os arquétipos.


Então, a cadeia ou o caminho de formação é o seguinte,  Paradigma / arquétipo / realidade subjetiva / ilusão / o aparente. Note que falo de formação (dar forma), não de criação; na cadeia de criação, o Paradigma é absoluta e ancestral, na formação é subjetivo e manipulável, e isto é o que nos interessa para o nosso propósito. Agora, conhecendo esta corrente podem ser modificados seus elos para receber novos dados e descobrir o que realmente está por trás do aparente.



0 comentarios :

Publicar un comentario

Muchas Gracias por su aporte

Colaborar con DDLA
https://www.paypal.me/DDLA.